quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Por que eu não virei um gênio?


Já me fiz essa pergunta algumas vezes. Porque em nenhuma outra época da humanidade o conhecimento foi tão valorizado. Nunca foi tão importante investir no ser humano. Não se trata apenas de estar matriculado em uma instituição de ensino e tirar notas boas na prova. Se não houver retenção do conteúdo e manutenção do processo de aprendizagem, tudo é vão. Por isso existe uma responsabilidade enorme sobre aqueles que se dedicam à arte de educar. As gerações futuras dependem do conhecimento repassado por seus mestres. Logo, a preocupação deveria começar já no primário. Eu me lembro do primeiro contato que tive com o conhecimento, ocorreu na sala de aula. Fomos apresentados formalmente e por causa disso, não tive interesse em conhecê-lo. Infelizmente, esta é a realidade do sistema educacional. E isso graças a proliferação exponencial de péssimos profissionais despreparados para fazer uma simples, mas importante apresentação. E quando isso raramente acontece, os alunos se contentam com um relacionamento superficial e cheio de segundas intenções, só para alcançar a média. Não existe um compromisso verdadeiro com o aprendizado.

Observei que um dos comportamentos frequentes dos professores era olhar para a classe como se a mesma não existisse. Parece até que todo conteúdo da aula acaba sendo dado para ele mesmo. Justamente no momento inicial, que é uma excelente hora para ganhar a atenção dos estudantes, ele acaba é desmotivando todo mundo. As vezes querendo dar uma de sabichão, acaba empregando termos altamente técnicos, que, além de colaborar para o nascimento do sono, gera conversas paralelas. Grande parte do sucesso de uma aula advém do uso correto da capacidade de introduzir o tema que será exposto à classe. O homem mais inteligente do mundo disse: “O sábio torna atraente o conhecimento”. Para ser um bom professor, não basta dominar o assunto. É preciso saber como transmiti-lo. Para isso, a coisa mais importante a ser realizada é conhecer a estrutura cognitiva (conjunto de imagens, conceitos, princípios e proposições que cada ser humano possui e a forma como esse conjunto está organizado) de cada aluno, em quanto individuo, e criar métodos de ensino que estejam disponíveis a serem assimilados na mente dos estudantes. Todo aquele que se aventura a ensinar deveria saber disso. Ao ver o aluno, o professor precisa distinguir quem está com dúvida e quem está entendendo, quem quer perguntar. Todos esses comportamentos, exprimidos pela linguagem corporal, devem ser analisados e, antes de tudo, percebidos por eles. Quando um aluno direciona uma pergunta ao professor, este deve respondê-la tendo vista à classe, pois é importante ver se todos estão entendendo. O professor também deve perguntar, mas dando oportunidade para que os estudantes respondam. A capacidade de fazer perguntas é mais complexa de todas as habilidades desenvolvidas pelo professor em sala de aula, por isso é pouco aplicada e quando aplicada, é utilizada erroneamente.

É preciso gerar interesse nos alunos. Isso é proporcionado quando o professor varia sua atuação durante a apresentação do conteúdo. Ela se baseia no fato de que a atenção dos alunos é mais intensa e se mantém durante mais tempo quando existe uma variação de estímulos. Reforçar aquilo que já foi ensinado ajuda a absorver melhor o assunto. Ilustrar com exemplos dá mais segurança e mostra que a teoria tem aplicação na prática. Enfim, a participação de todos é fundamental para expandir o conhecimento.

Mudar as engrenagens desse sistema parece impossível. Hoje, graças a nossa cultura ficamos acomodados. A salvação, como sempre, está nos livros. Atualmente, sabe qual é a educação, aquela que funciona e forma verdadeiros gênios? Eu a chamo de individualista artificial. É assim: você se vira para aprender sozinho através da leitura de livros, fazendo resenhas, na solidão das letras, mas tem que ir para escola porque precisa do diploma para mostrar que é capaz, habilitado. Isso se você quiser fazer a diferença e não ser mais um na multidão. Infeliz realidade.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

2 comentários:

  1. Me mostrou seu blog pelo skoob e estou Seguindo, me segue também?
    www.tematoa.blogspot.com.br
    Quer Ganhar Divergente?
    http://tematoa.blogspot.com.br/2012/11/sorteio-9-leio-ate-embaixo-dagua.html
    Guilherme Kunz
    www.tematoa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olá texto interessante, realmente a educação na escola é complicada principalmente em escolas publicas né

    bjos

    ResponderExcluir

Marcadores

Seguidores

Siga por e-mail

Popular Posts

Random Posts

Flickr

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Popular Posts